Coleta Seletiva e Catadores

Pra onde vai seu lixo gerado?

Em pleno século 21 quanto evoluímos com o assunto LIXO? O lixo que produzimos em casa, nas empresas, nos restaurantes, enfim, você sabe pra onde ele é destinado?

Observe se nos locais que você frequenta tem papel, plástico, entre outros, e resto de comida depositados em lixo comum ou jogados na rua. Se você já se deparou com essa situação é porque a sua cidade não tem um plano para a gestão desses resíduos ou falta fiscalização.

Embora o Brasil tenha regulamentado a “Lei do Lixo” em 02 de Agosto de 2.010 sob a Lei 12.305, pouco se evoluiu de lá pra cá.

Um dos artigos da Lei diz:

Art. 54. A disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, observado o disposto no § 1o. do art. 9o., deverá ser implantada em até 4 (quatro) anos após a data de publicação desta Lei.

Pois bem, estamos em 2021 e nada foi feito. Pelo contrário, em 2015 foi criado o Projeto de Lei 2.289/15 solicitando a extensão do prazo para eliminação dos lixões.

O que eu quero mostrar é o quanto se desperdiça com o não tratamento desses resíduos. Essa falta de estímulo no Brasil causa um prejuízo em torno de R$ 8 bilhões ao ano (WWF,2011) e se não fosse os catadores esse prejuízo seria ainda maior.

 

Mas como realizar a destinação?

Pelo pouco avanço que estamos tendo no Brasil teremos muito trabalho para chegarmos ao nível da Alemanha, por exemplo.

Na Alemanha tudo é reciclado e somente de 5 a 10% dos rejeitos são depositados em um Aterro Sanitário. Pouco se fala em catadores, pois a população tem a reciclagem como um hábito. Seus catadores trabalham em usinas de triagem.

No Brasil devemos começar com programas de educação ambiental nas escolas. Em locais de grande movimentação como supermercados e centros comerciais podemos ter Pontos de Entrega Voluntária (PEV).

Por isso é muito importante a colaboração da sociedade entregando seus resíduos no PEV. As empresas também colaboram nessa cadeia direcionando o material para os catadores.

Sendo assim, o catador terá uma enorme ajuda na sua renda familiar e aumento do número de empregos, além do que ele deixará de se expor nos lixões colocando em risco a sua saúde.

A longo prazo teremos um ambiente menos poluído, diminuição de vetores que transmitem doenças e uma população menos doente.

 

Qual o resultado em implantar a coleta seletiva?

Com o sistema de coleta funcionando, por consequência teremos mais empregos gerados para os catadores, pois são eles que separam e destinam dos materiais.

Por fim, as indústrias que se utilizam do reciclável dependerão menos da matéria prima virgem e também teremos uma diminuição na disposição do nosso lixo para os lixões ou aterros.

Se cada um fizer a sua parte teremos uma economia sustentável, empregos para famílias de baixa renda e o meio ambiente agradece.

E ai, vamos juntos fazer a nossa parte? De grão em grão podemos ser exemplo de sustentabilidade.

 

Vamos implantar a coleta seletiva?
Solicite um orçamento!
Entre em contato com a Verde Perto Ambiental para diagnóstico da sua situação e elaboração do PGRS.