Resíduos sólidos: O primeiro passo para a nossa sobrevivência

Já separou o seu resíduo?

Você sabia que separando o seu lixo (resíduo) e enviando para a reciclagem podemos gerar:

  • Emprego (e também tirando muitos catadores de resíduos da insalubridade) e;
  • Renda e;
  • Ajudar o meio ambiente

Sendo assim, o resultado dos três itens acima, quando alcançados, estamos contribuindo para os 3 pilares da sustentabilidade.

Pensando nisso, você já avaliou o quanto de resíduo você produz na sua residência? Além disso quanto de resíduos geramos desnecessariamente? Essas e outras milhares de perguntas colocam em xeque onde nós queremos chegar e dar um futuro melhor para nossa futura geração.

Então como devemos lidar com a separação do nosso lixo (resíduo) para a reciclagem?

A cada ano os números em geração de resíduos por pessoa não tem mudança significativa, o que indica que a conscientização para esse assunto tem muito a avançar.

Segundo o site da SEMULSP, de janeiro a dezembro de 2019, o aterro de Manaus recebeu 967.277 toneladas de resíduos sólidos, os quais 98,6% de RSU (Resíduos Sólidos Urbanos) e 1,4% de resíduos de terceiros. A média é de 2.650 ou então 1 tonelada de resíduos dispostas por dia no aterro.

Mas qual a alternativa que estamos buscando? Nossos mais brilhantes cientistas estão buscando outros planetas em alternativa ao Planeta Terra. Como podemos pensar em colonizar outros planetas se mal conseguimos cuidar no nosso?

Em primeiro lugar precisamos pensar em como cuidar do nosso planeta, em segundo lugar em como cuidar da nossa população em relação ao descarte de resíduo, ao meio ambiente e não menos importante o saneamento básico. Aí sim em terceiro lugar talvez possamos pensar em colonizar outro planeta.

 

Mas o que podemos fazer para melhorar esse cenário?

Em uma sociedade onde a necessidade de ter cada vez mais bens materiais VERSUS uma indústria que necessita suprir tal demanda de consumo, tem acarretado em uma demanda alta na produção de bens de consumo e gasto de energia.

Não obstante, os hábitos de consumo são o primeiro passo para amenizar tal situação. Sendo assim, nossa política de gestão ambiental não consegue enxergar a geração excessiva de resíduos como um problema a ser solucionado e assim temos demandas cada vez maiores em utilização de lixões e aterros controlados ou sanitários.

Portanto uma alternativa às políticas municipais é a utilização de centros de coleta seletiva de resíduos separando seu lixo (resíduo) e enviando para a reciclagem em secos e úmidos, onde o seco vai para cooperativas e associações e o úmido vai para a compostagem.

 

Atitudes simples já são um começo

  • Já pensou em ir a praia ou qualquer outro lugar e levar o seu próprio copo e seu próprio canudo (de Inox)? e
  • Ter na sua mesa de trabalho a sua própria caneca de água/café? e
  • Separar o seu resíduo e levar em uma coleta seletiva? e
  • Utilizar sacolas retornáveis no seu dia a dia?
  • Por exemplo você pensa na troca de um celular. Antes de trocá-lo já se perguntou se realmente precisa de um novo ou se o que você tem atualmente não é possível ficar com ele por mais tempo?
  • E outras atitudes que ajudem o meio ambiente.

Essas são algumas simples ideias que ajudam a melhorar nossas atitudes quanto a geração de resíduos.

 

Como você se sente ao ver essa imagem?

Foto: SEMULSP (2020)

Foto: SEMULSP (2020)

As fotos acima refletem o trabalho diário da SEMULSP na limpeza dos Igarapés e Rios.

É uma situação onde e eu me sinto envergonhado e precisamos em caráter de urgência separar nosso lixo (resíduos) e enviar para a reciclagem.

Mas a culpa é de quem? Eu penso que todos somos culpados.

Mas de que adianta reclamar da poluição dos Igarapé, dos nossos rios se somos nós que poluímos? É preciso ter mais consciência dos nossos atos perante o meio ambiente e ao que estamos consumindo e como estamos descartando.

Segundo estimativa da ONU e matéria da WWF, se nada mudar daqui pra frente, até 2050 haverá mais plásticos do que peixes nos oceanos.

Além disso nossa futura geração terá que lidar com um gravíssimo problema quanto à geração de lixo e com os lixões existentes no Brasil, que ao meu ver, não terá solução em curto ou médio prazo.

 

Como podemos contribuir para o Meio Ambiente?

Em conclusão, todo o resíduo orgânico que geramos (inclusive tipos de carnes, temperos, guardanapos e outros) em casa podem ser convertidos em adubo. Para isso basta verificar todos os tipos de compostagem existentes na atualidade.

A compostagem em casa ajuda a diminuir a emissão de gases que causam o efeito estufa e acima de tudo não sobrecarrega o aterro.

Então se você se interessou em produzir adubo é possível ter a sua própria composteira.

Na internet é possível buscar sobre o assunto. Nela você terá desde “como fazer sua composteira” e como alimenta-la. E além da composteira caseira existem as prontas e também automáticas.

Além disso, para áreas rurais é possível gerar gás a partir da compostagem, mas para esse assunto requer um certo tipo de experiência e cuidados.

Vamos implantar a coleta seletiva?
Solicite um orçamento!
Entre em contato com a Verde Perto Ambiental para diagnóstico da sua situação e elaboração do PGRS.